Veja 10 dicas para aproveitar as liquidações do comércio sem dor de cabeça

liquidação

Passadas as festas de fim de ano, começa a temporada de liquidações em lojas e shopping centers.

Lojas físicas e virtuais começam uma temporada de liquidações pelo país. O objetivo é desovar o estoque que sobrou das festas de fim de ano e alavancar as vendas até fevereiro, período tradicionalmente fraco para o setor.

A Associação Brasileira dos Lojistas de Shopping (Alshop) prevê aumento do movimento nos shoppings especialmente em janeiro por causa das liquidações.

Aproveitar as ofertas, porém, requer cuidados por parte do consumidor, alertam especialistas.

É preciso ficar atento a possíveis defeitos nos produtos, afirma o consultor de relação de consumo e advogado especialista em direito do consumidor Dori Boucault.

“Muitas vezes o lojista avisa que o produto está em liquidação porque tem um pequeno problema que não inviabiliza seu uso. Nesse caso, se o consumidor levar o produto, terá de aceitá-lo do jeito que está”, diz o especialista.

O Procon sugere que o consumidor evite a pressa e verifique o funcionamento do produto e se o conteúdo confere com os dados apontados na embalagem.

Defeito que impede uso dá direito a troca

Caso o produto tenha o que se chama de vício, ou seja, um defeito que inviabiliza o seu uso, então o consumidor tem direito à troca, mesmo que a compra tenha sido feita em liquidação, diz Dori Boucault.

O prazo para reclamar é de até 90 dias úteis para bens duráveis, e até 30 dias para bens não-duráveis. Segundo o Procon, o estabelecimento tem 30 dias para fazer a troca nesses casos.

O especialista alerta ainda que, se a compra tiver sido feita pela internet, o consumidor tem o direito de desistir em até sete dias, mesmo no caso de ofertas.

“Nesse caso, como o consumidor não teve a oportunidade de tocar o produto ou provar, por exemplo, considera-se que ele não teve conhecimento exato do que estava adquirindo. Então, tem direito de devolver mesmo que o produto esteja em liquidação e não tenha defeito.”

O Procon sugere também que o consumidor confira as ofertas antes de sair de casa, por meio de folhetos, encartes ou pela internet. O objetivo é definir previamente que itens serão comprados, para que o consumidor evite comprar por impulso e gastar demais.

O órgão também alerta que muitas lojas que promovem liquidações não fazem a entrega do produto na casa do comprador. Ele precisa, assim, levar a compra na hora para casa. Essa informação deve ser prestada de maneira clara e antes do fechamento do negócio.

Fonte: UOL | www.economia.uol.com.br
Postado por: Xênia Decorações | www.xeniadecoracoes.com.br